21 de fevereiro de 2009

CRASS


Não há melhor maneira de começar a minha colaboração aqui no Skunk'N Riot do que um post sobre a primeira banda anarkopunk, os Crass.

Em 1967 surgiu em Epping (Essex) a Dial House, uma comunidade anarquista baseada numa quinta. Os seus habitantes eram maioritariamente artistas e estavam ligados a bastantes projetos políticos.

Em 1977 Penny Rimbaud começa a fazer jams com um rapaz que costumava ir la a casa Steve Ignorant. Rapidamente os seus amigos começaram a integrar a banda, nomeadamente Joy De Vivre, Pete Wright, N. A. Palmer, Steve Herman e Eve Libertine.

O seu primeiro concerto foi um festival de rua em Huntley Street (zona norte de Londres). A rua foi okupada e tocaram várias bandas, os Crass deveriam tocar 5 músicas, mas um vizinho desligou o cabo de eletricidade depois de 3 músicas!

Depois de alguns concertos a banda foi tocar ao lendário espaço Roxy, em que a atuação foi um caos devido aos músicos estarem completamente bêbados o que culminou com a banda a ser expulsa do palco.

Devido a este incidente a banda decide mudar, evitam o álcool e drogas antes dos concertos e passam a vestir sempre de preto. Adoptam também um símbolo que passam a usar em todos os gigs desenhado por Dave King (amigo da banda).

Devido a isto tudo a banda começou a ter uma conotação fascista, mas eles responderam que usavam este estilo de roupa uniformizado pois eram contra o culto da personalidade, e tentavam assim que nenhum membro fosse considerado líder da banda.

Este símbolo dos Crass representa vários ícones de autoridade, tais como a cruz cristã, a suástica, a bandeira do reino unido combinadas com uma cobra de duas cabeças que se devora a si própria para simbolizar a idéia de que o poder vai eventualmente destruír-se a si próprio.

A banda foi também pioneira em apresentações multimédia durante os concertos, desde passagem de vídeos feitos por Mick Duffield e Gee Vaucher, como também iluminações.

O primeiro album dos Crass foi o The Feeding of the 5000, editado pela Small Wonder que exigiu que a faixa Reality Asylum que fosse retirada devido ao seu conteúdo. A banda colocou no seu lugar uma faixa de 2 minutos de silêncio chamada The Sound Of Free Speech.

Isto levou a banda a criar a sua editora para poder ter controle total sobre as suas músicas, assim surgiu a Crass Records.

A banda sempre esteve envolvida em questões políticas tais como o anarquismo, feminismo, anti-guerra, anti-consumismo, ambientalismo, etc...

No dia 18 de Dezembro, os Crass coordenaram a okupação durante 24 horas do Zig Zag, um club na zona oeste de Londres. Esta okupação juntou 500 pessoas que queriam provar que a cena undergound do punk podia tomar conta de si própria e que a música podia ser apreciada sem as restrições das corporações multinacionais.
As bandas que actuaram nesse dia foram(ordem segundo o alinhamento desse dia): Faction, D and V, Omega Tribe, Lack of Knowledge, Sleeping Dogs, The Apostles, Amebix, Null & Void, Soldiers of Fortune, The Mob, Polemic Attack, Poison Girls, Conflict, Flux of Pink Indians, Crass e DIRT.

Em 1983 e 1984 fizeram parte das acções Stop the City instigadas pelo núcleo londrino do Greenpeace que hoje em dia são vistas como as antecessoras da grande movimentação anti-capitalista surgida no final do século XX.

Músicas como You're Already Dead falam destas acções e mostram os Crass a abandonar a imagem pacifista que os caracterizava.

Devido à edição do single How does it feel (e por ser um incomodo para o governo britanico) a banda foi levada a tribunal.

A 7 de Julho de 1984 a banda deu o seu ultimo concerto num benefit para mineiros em greve em Aberdare, Gales. Depois disso a banda voltou para a Dial House para concentrar as suas energias noutros projectos.

Crass são a prova que o punk pode e deve ser muito mais que música.






3 comentários:

raquel disse...

Bom post ;)
Fico à espera do de Aus-Rotten :D

Anónimo disse...

Só a mim é que não me mandam elogios , Punx Riot és o Zézé camarinha disto tudo eheheh

raquel disse...

como é que havemos de mandar elogios a um anónimo?
Além de que punx + riot é uma combinaçao deveras atraente haha