12 de dezembro de 2008

os BODY COUNT ganharam mais notoriedade graças aos que nao gostavam da sua musica do que devido aos seus fas.quando em 1992 a SIRE RECORDS,editora de nomes tao diversos que vao desde a madonna aos ramones,editou "cop killer"nem imaginava a celeuma que iria causar.muita gente sentiu-se ofendida com as verdades que os versos da musica revelavam e que culminavam no estrondoso refrao:FUCK THE POLICE.mas o pior é que estes rapazes de south central L.A.,que tinham andado juntos no liceu de crenshaw,nao eram betinhos vestidos de mauzoes,eram miudos de bairro e o unico que berravam era a realidade que os cercava e se o quadro era horrivel nao foram eles que o pintaram,apenas o descreveram.entao os guardioes da moral mobilizaram-se,a policia,de LOS ANGELES ao TEXAS,protestou veementemente,o presidente BUSH corroborou.até o actor CHARLTON HESTON,presidente da NRA,poderoso lobby que defende a livre posse de armas citou a letra da musica "KKK BITCH" aos atónitos executivos da TIME WARNER que detinha a SIRE.desde os SEX PISTOLS que uma banda nao causava tanto burburinho.a musica COP KILLER foi retirada do album e substituida por uma declamaçao de JELLO BIAFRA atacando a censura nas suas mil e uma formas mas o grupo agradeceu a publicidade aos seus detratores,pois foram convidados para fazer a primeira parte dos GUNS'N'ROSES e dos METALLICA na america do norte,o que os deu a conhecer a um publico mais vasto.mas musicalmente falando,neste disco os BODY COUNT misturam punk rock,heavy metal,rock,rap,rebeldia,atitude e optimas letras e dessa combinaçao improvavel nasceu um grande disco.

Sem comentários: