4 de dezembro de 2008

A arte da Intervenção.







Bem apesar do skunk'n'riot ser um blogue de música e "lifestyle"(seja lá o que isso seja...), também é um blog antifascista e de cariz interventivo. Sendo assim pareceu-me bem falar da "arte" que é o graffiti.



Ora, quando pensamos em graffiti vêm-nos várias associações á cabeça : graffiti+hip hop; graffiti=vandalismo; graffiti/arte urbana etc,etc. A verdade é que o graffiti é mais velho que o cagar.



O graffiti nasceu da necessidade do homem se expressar enquanto individuo na sociedade, assim sendo desde que existem tintas e métodos para as fazer o homem tem vindo a deixar a sua marca artistica,ou não, por aí.



A corrente de graffiti que hoje podemos vêr nas cidades, tem como base a cultura do hip hop, sendo este um ramificação da mesma. Esta corrente nasce em Nova Iorque por volta do ano de 78, mais concretamente no bairro de brooklyn, com algumas Krews da altura a deixarem a sua marca(tag) pela cidade, bem como com o hoje célebre artista Jean-Michelle Basquiat.



Desde então o graffiti tem vindo a crescer e a adquirir um expressão bastante forte nas sociedades urbanas por todo o mundo, aparecendo novos estilos consoante a expressão da cultura urbana e de consumo. O graffiti hoje em dia já não é exclusivamente uma ramificação da cultura do hip hop extendendo-se neste momento a outras subculturas tais como, o hardcore, o movimento skinhead ou até mesmo a criativos e pessoas que não se inserem nas subculturas.



O graffiti como arte de expressão acessível ás massas, é usado como um arte também de intervenção, coisa que passou a muitos pela mente fechada que ainda tinham.



O graffiti enquanto instrumento de intervenção na Europa teve o seu auge no célebre período do Maio de 68, aparecendo nos muros frases pintadas que expressavam a revolta e a necessidade de expressão da altura.






Sem comentários: